Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e por meio de nós difunde em todo lugar o cheiro do seu conhecimento. Colossenses 1:10

Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lucas 10:27-28

Ele respondeu: “ ‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu
coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o
seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’”. Disse
Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”.



   O amor a Deus e ao próximo são fundamentos da lei (Deut 6:5 e
Lev 19:18). Justamente por serem gerais eles podem nos guiar nas
mais diversas situações. Não são tanto princípios quanto
prioridades. Amamos a Deus primeiro, seguido por todos que foram
criados à imagem dEle, com um amor igual ao que temos por nós
mesmos. Pode ser difícil de seguir? Sim. Teremos que parar e
refletir em muitas aplicações específicas. Como é que amo a Deus
nessa situação? O que é melhor para meu próximo naquela ocasião?
Nem sempre teremos a resposta. Aonde encontraremos? No exemplo de
Jesus. Teremos que estar sempre olhando para Jesus? Sim, mas, isso
é a beleza do plano! Aprendemos a depender de Jesus ao mesmo tempo
que começamos a ser cada vez mais como ele. E não é isso que no
final das contas todos nós precisamos?

ORAÇÃO:


   Só pela graça, Senhor, é que podemos amar como devemos. Não
temos essa capacidade dentro de nós. Não sabemos o que fazer ou
como reagir. Nem sabemos como amar o Senhor. Mas, observando e
seguindo Jesus, a transformação já começa em nós. Obrigado por não
nos dar todas as respostas, mas, A Resposta para tudo. Que possamos
conhecê-Lo cada vez mais. Em nome e para a glória de Jesus oramos.
Amém.
 

Louvor e Adoração

A Origem Bíblica das Palavras


Normalmente não fazemos muita distinção entre louvar e adorar a Deus. Para nós essas palavras têm o mesmo sentido.

Mas observando a maneira como são empregadas na Palavra de Deus, podemos perceber que muitas vezes são empregadas ao mesmo tempo: Louvai e adorai ao Senhor, louve e exalte o seu santo nome....


Isso é porque nos textos originais são palavras diferentes que expressam significados que são muito importantes para nós.

As palavras para louvor vêm do hebraico hãlal, que significa fazer ruído, yãdhâ que está associada às ações e gestos corporais que acompanham o louvor e, zãmar, que é associada à música tocada e cantada. No Novo Testamento a palavra grega eucharistein que significa agradecer é mais utilizada que a palavra eulogein "bendizer".


Facilmente se percebe que a louvor está muito associado a oferta, aquilo que entregamos a Deus.

Se cantamos, tocamos, dançamos, aplaudimos, estamos louvando. A Bíblia diz que toda a natureza louva a Deus. Pois demonstra o Seu poder, criatividade, soberania.


Salmos 65:13 - Os campos se vestem de rebanhos, e os vales se cobrem de trigo; eles se regozijam e cantam.

Salmos 69:34 - Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.

Salmos 98:8 - Os rios batam as palmas; regozijem-se também as montanhas,


Isaías 44:23 - Cantai alegres, vós, ó céus, porque o SENHOR o fez; exultai vós, as partes mais baixas da terra; vós, montes, retumbai com júbilo; também vós, bosques, e todas as suas árvores; porque o SENHOR remiu a Jacó, e glorificou-se em Israel.


O simples fato de existirmos já louva a Deus.

Já a palavra hebraica para adoração é abhôdhâ e o grego latreia, ambos significam servir com temor reverente, admiração e respeito.

Este vocábulo grego latreia origina palavras como idolatria: a qual vemos bastante por aí, sejam as romarias católicas ou as caravanas para assistir shows de rock, onde pessoas viajam quilômetros para ver seus ídolos, compram tudo o que tenha sua imagem, fazem de tudo para se identificarem com ele.


Isso serve para nós pensarmos:

A idolatria só produz a degradação e a diminuição da dignidade do adorador, mas estes se entregam de corpo e alma.

A verdadeira adoração restaura o caráter do adorador, pois é para isso que fomos criados, para servir ao Deus verdadeiro ao qual fomos criados imagem e semelhança.


Adorar a Deus é serví-lo com devoção, admiração, zelo, enfim é a intenção e a motivação, com que a oferta é feita.

Face a tudo isto é perfeitamente possível que eu esteja louvando a Deus sem adorá-lo.

O Pai procura verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (Jo 4:23). Na busca de Deus por adoradores, como Ele está se deparando diante de você?

Deixe que Ele encontre em seu coração o espírito devoto e sincero de um verdadeiro adorador!


Autor: André Paganelli

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O Exército de Deus


Guerra espiritual é hoje uma linguagem universal, todos os crentes já ouviram pelo menos uma vez este termo, não é modismo de evangelização e missões, absolutamente é uma luta que travamos constantemente contra satanás.

* Nós somos soldados alistados para esta grande batalha espiritual, um soldado é um combatente, um campeão, portanto um vencedor (2 Tm 2.3) “Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus.” Um soldado é parte integrante de um corpo que pode ser chamado de guarnição, destacamento, batalhão ou regimento.
Em (Jl 2.2b e 5b) “um povo grande e poderoso, qual nunca houve, nem depois dele haverá pelos anos adiante, de geração em geração: ...como um povo poderoso, posto em ordem de batalha.” Aqui encontramos duas características marcantes do exército de Deus. Pois maior é aquele que está em nós (1 Jo 4.4) “Filhinhos, vós sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo.” Nunca digas estou só, pois o Senhor Jesus afirma categoricamente: (Mt 28.20) “...e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Nunca mais digas: não posso, pois está escrito (Fl 4.13) “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” 

Vejamos objetivamente, as diversas posições a serem ocupadas no exército de Deus:

1 – INFANTARIA.

São aqueles que estão na linha de frente, basicamente no corpo a corpo com o inimigo: destituindo potestades, expulsando demônios, invadindo pessoalmente o território do inimigo, pisando neste território e tomando posse em nome do grande general – Jeová Shabaot ( Senhor dos exércitos). Exemplo: Davi colocou Urias na infantaria. Como também os missionários.

2 – ARTILHARIA.

É composto pelo grupo que utiliza armas de longo alcance, como: Intercessão, combate espiritual em grande escala, Fé sobrenatural e palavras de autoridade. Exemplo: Elizeu (2 Rs 6.18) “Quando os sírios desceram a ele, Eliseu orou ao Senhor, e disse: Fere de cegueira esta gente, peço-te. E o Senhor os feriu de cegueira, conforme o pedido de Eliseu.” Jesus (Mt 8.8b) “...mas somente dize uma palavra, e o meu criado há de sarar.” O objetivo principal da artilharia é enfraquecer as forças inimigas, atingindo alvos selecionados como: Principados, Potestades, Dominadores deste mundo tenebroso. (2 Co 10.4,5; Ef 6.12) “pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas;” Bombardeando as fortalezas inimigas, o trabalho é facilitado para os infantes que estão na linha de frente, os quais, despojarão o inimigo, tomando-lhe as vidas preciosas e transportando-as para o reino da luz. (Is 49.25) “...Certamente os cativos serão tirados ao valente, e a presa do tirano será libertada; porque eu contenderei com os que contendem contigo, e os teus filhos eu salvarei.”
3 – REGIMENTO MOTORIZADO.

São agrupamentos que utilizam os grandes equipamentos de guerra para atingir as grandes massas. Exemplo: O rádio, a televisão, os grandes seminários, seu objetivo principal é lançar de uma só vez toneladas de sementes da palavra de Deus. (Is 40.9) “Tu, anunciador de boas-novas a Sião, sobe a um monte alto. Tu, anunciador de boas-novas a Jerusalém, levanta a tua voz fortemente; levanta-a, não temas, e dize às cidades de Judá: Eis aqui está o vosso Deus.”

4 – ENGENHARIA.

É o grupo dotado de uma capacidade especial de engendrar, arquitetar, planejar meios através dos quais é aumentado, facilitando e ampliando o poder de fogo do exército de Deus. São as técnicas e táticas especiais do Espírito Santo (O grande Ensinador), que nos leva a resultados surpreendentes. Deus sempre levantou e treinou os seus engenheiros de guerra, exemplo: Moisés (Ex 17.11) “E acontecia que quando Moisés levantava a mão, prevalecia Israel; mas quando ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque.” , Josué (Js 10.12b) “...e disse na presença de Israel: Sol, detém-se sobre Gibeão, e tu, lua, sobre o vale de Aijalom.” Josafá (2 Cr 20.22ª) “Ora, quando começaram a cantar e a dar louvores, o Senhor pôs emboscadas contra os homens de Amom, de Moabe e do monte Seir,...” e Paulo e Silas (At 16.25,26). Utilizando-se de artifícios, humanamente loucos, estes homens venceram batalhas e situações humanamente impossíveis.

5 – COMUNICAÇÕES.

O elemento deste agrupamento tem como missão promover o apoio de comunicações necessária àqueles que o recorrem ou dele dependem. Existem tanto as comunicações ativas, que dão diretrizes de ataque; quanto a passiva, que visam preservar do perigo eminente. Em ambos os casos, Deus utiliza com freqüência os seus profetas, conforme (Am 3.7) “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.” E não com menos freqüência a sua palavra (Hb 1.1) “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas,” exemplo: a extratégia através de Jaaziel (2 Cr 20.14-17); aviso através de Elizeu (2 Rs 6.6).

6 – SUPRIMENTO.

Visa promover o suprimento regular e extraordinário, tanto da necessidade básica de sobrevivência e bem estar do soldado, quanto, dos equipamentos e munições por ele utilizados. Exemplo: Davi, antes de se tornar rei, assistia seus irmãos, na batalha, com mantimentos (1 Sm 17.15,17,18). Mas Deus queria Davi era no meio da batalha como um soldado.

7 – DEPARTAMENTO MÉDICO.

Este grupo de forma especial cuida do tratamento e recuperação dos feridos e doentes. Cuida também da saúde preventiva da tropa. Num combate há sempre aqueles que por um ou outro motivo são feridos e necessitam de cuidados especiais. Exemplo: Parábola do Bom Samaritano (Lc 10.34-37).

CONCLUSÃO:

Esta luta contra as trevas envolve todos os crentes, seja qual for seu dom ou vocação. Fazer evangelismo é fazer guerra contra as trevas, é tirar da cegueira espiritual os cativos de satanás. (2 Co 4.4).
Autor: Vilmar Henrique Martins

domingo, 20 de outubro de 2013

Amarras do Passado


Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante,prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.Filipenses 3:13,14

INTRODUÇÃO

Tenho observado que muitas pessoas têm sido impedidas de serem abençoadas por estarem amarradas ao passado. Ninguém chegará ao futuro se não se libertar do passado. Nunca se esqueça que o nosso futuro é construído no presente.


I. QUANDO O PASSADO PODE ESTRAGAR O MEU FUTUROQuando Vivo o Presente Preso ao Passado


1. Preso as experiências negativasa) Experiências Sentimentais
Esaú ficou preso ao desejo de vingança contra seu irmão Jacó, estragando toda a sua vida.
Existem pessoas que nunca são felizes porque nunca conseguiram se libertar de uma ofensa sofrida. (mágoa no coração).

b) Experiências Profissionais
Um emprego que não deu certo.
Uma empresa que você montou e não deu certo.
Um vestibular que você foi reprovado.

c) Experiências Cristãs
Uma decepção que você teve com seu líder (pastor)

d) Experiências Ministeriais
Elias se decepcionou tanto que desejou a morte.
Talvez você esteja na caverna como Elias estava.


II. O QUE FAZER PARA IMPEDIR QUE O PASSADO ATRAPALHE O MEU PRESENTEÈ Preciso me libertar das amarras do passado

1. Esquecer das coisas que para trás ficam Fp. 3.13a) Deixar de viver o saudosismo
O que tem te prendido ao passado?

2. É Necessário Fazer Mudanças em Minha Vidaa) Toda mudança exige quebra de paradigma
Pra o filho pródigo se tornar uma benção ele teve que fazer mudanças em sua vida.

3. É Necessário Correr os Riscos da Mudançaa) A Mulher do fluxo de sangue correu o risco de ser esmagada no meio da multidão.

III. CONSTRUINDO UM FUTURO DE BENÇÃOSÈ Preciso Avançar para o Futuro Fp 3.13 b

1. É Uma questão de Ação (Avançar)a) Sair da inércia
Josué teve que sair da zona de conforto para assumir o lugar de Moisés.
Josué teve que decidir pela sua família – Eu e minha casa serviremos ao Senhor.

2. É Necessário Determinação em atingir o alvo.a) Prossigo para o alvo Fp. 3.14
Corro direto para o alvo
Não permito que nada tire a minha visão do alvo.

3. É Necessário Ter Inspiração Pelo Alvo.a) O que me inspira a lutar contra as amarras do passado é o Prêmio
A Salvação em Cristo Jesus.
Só leva o prêmio quem cruza a linha de chegada.

Autor: Pr. Genismar Marques de Souza

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Seja dedicado, seja abençoado!


Hebreus 12.12-15


Nós cremos que fomos escolhidos e chamados por Deus, a fim de anunciar e realizarmos as Suas maravilhosas obras sobre a terra. Mas é sabido, que muitos cristãos se tornam relaxados em relação a esse chamado e precisam ser disciplinados, a fim de que a sua fé seja renovada.

Repare no verso 12 o uso da conjunção “portanto”. Significa que o assunto a seguir está ligado ao anterior. Nos versos anteriores é explicado que Deus é como um pai, que disciplina Seus filhos e nós não gostamos muito de encarar esse assunto, mas precisamos!

No primeiro momento, a disciplina dói, abate e causa tristeza; mas, devemos considerar os seus benefícios. (v.11)
• Uma vida correta.
• Uma vida cheia de paz.

Em muitas ocasiões, Deus permitirá que soframos reveses “para nos disciplinar”. A disciplina divina prova duas coisas (v.6):
• Que Deus nos ama
• É um sinal de que somos Seus filhos.

Então, qual deve ser a nossa reação diante da disciplina do Senhor? (v.5)
• Não desprezar a Sua correção
• não desanimarmos quando por Ele somos repreendidos.

Muito bem, nós falamos sobre as razões e as recompensas que a disciplina divina produz, no entanto, ela deve gerar em nós algo mais, uma renovação da nossa espiritualidade.

A Bíblia diz: Pois a tristeza que é usada por Deus produz o arrependimento [i.e. mudança de atitude] que leva à salvação; e nisso não há motivo para alguém ficar triste. Mas as tristezas deste mundo produzem a morte [i.e. morte espiritual, afastamento de Deus]. (2 Co.7:10 NTLH)

Por tudo quanto foi dito, tenha uma atitude vigorosa em relação à sua vida com Deus. (vs.12,13) Levante-se, busque fortalecimento e caminhe para o que é bom, para o que agrada a Deus e o que traz edificação.

Tenha uma atitude de fé e coragem, para enfrentar os desafios de uma vida renovada. Mas que desafios são esses? (vs.14,15)

• Procurar ter paz com todos. Por isso procuremos sempre as coisas que trazem a paz e que nos ajudam a fortalecer uns aos outros na fé. (Rm.14:19 NTLH)
• Cumprir a missão espiritual, por meio de uma vida dedicada ao Senhor. Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. (1 Pe.2:9 NTLH)
• Valorizar e permanecer na graça ou a bondade de Deus. A Bíblia diz: Essa graça nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus (Tt.2:12 NTLH)
• O cuidado para não semear amargura entre os irmãos. Abandonem toda amargura, todo ódio e toda raiva. Nada de gritarias, insultos e maldades! (Ef.4:31 NTLH)

A Bíblia diz: Pois os olhos do Senhor estão atentos sobre toda a terra para fortalecer aqueles que lhe dedicam totalmente o coração. (...) (2 Cr.16:9 NVI)

Seja uma pessoa dedicada de coração a Deus e você será fortalecido por Ele. Quando você decide ser dedicado ao Senhor, esteja certo de que Ele lhe oferecerá tudo o que é bom. O SENHOR dá força ao seu povo e o abençoa, dando-lhe tudo o que é bom. (Sl.29:11 NTLH) Seja dedicado, seja abençoado! Deus o abençoe!
|  Autor: Pr. Walter de Lima Filho  

terça-feira, 8 de outubro de 2013

O Sacerdote Perfeito

 

Um sacerdote serve como intermediário entre homens imperfeitos e o perfeito Deus que os criou. Desde a escolha de Arão como o primeiro sumo sacerdote de Israel, Deus usou esses homens para ensinar sobre a necessidade do homem se reconciliar com o Senhor. Desde a queda de Adão e Eva no Éden, o pecado vem criando uma barreira entre Deus e os homens. O profeta Isaías escreveu: “Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Isaías 59:1-2). Conforme cada um participa do pecado, também recebe a consequência de separação de Deus: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram” (Romanos 5:12).

Arão foi um sacerdote imperfeito, porque ele mesmo pecava. Quando ele entrava na presença de Deus, precisava oferecer um sacrifício pelos seus próprios pecados antes de representar os outros diante do Senhor: “mas, no segundo, o sumo sacerdote, ele sozinho, uma vez por ano, não sem sangue, que oferece por si e pelos pecados de ignorância do povo” (Hebreus 9:7). Como homens sujeitos às consequências do pecado, o serviço dos sacerdotes foi interrompido pela morte. Quando o sumo sacerdote morresse, seu sucessor tomaria seu lugar. Durante a vigência da Lei dada no monte Sinai, dezenas de homens ocuparam o ofício de sumo sacerdote.

O sistema do sacerdócio mudou com Jesus. Uma vez que o sacerdote representa homens diante de Deus, Jesus teve que se tornar homem antes de aceitar o papel de sacerdote: “Porque todo sumo sacerdote, sendo tomado dentre os homens, é constituído nas coisas concernentes a Deus, a favor dos homens, para oferecer tanto dons como sacrifícios pelos pecados” (Hebreus 5:1). Jesus é diferente de Arão e outros sacerdotes em vários sentidos importantes:

Ele nunca pecou. Jesus não precisou fazer sacrifício por seus próprios pecados, e assim seu trabalho como sacerdote é totalmente a favor dos outros.

Ele venceu a morte. Não precisa e jamais terá sucessor, porque ele ressuscitou para viver para sempre. O salmista profetizou e o autor de Hebreus confirmou que ele é sacerdote para sempre (Salmo 110:4; Hebreus 7:17).

Ele entrou no verdadeiro Santo dos Santos. Arão e outros sumo sacerdotes entravam uma vez por ano na parte do tabernáculo ou templo que representava a presença de Deus, mas Jesus entrou e permanece na presença do Pai no céu: “Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação” (Hebreus 9:11).

O sacerdote é o sacrifício! Arão e outros sacerdotes do Antigo Testamento levavam o sangue de animais, mas Jesus ofereceu seu próprio sangue: “não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção” (Hebreus 9:12).
 
Uma vez que entendemos o papel de Jesus Cristo como sumo sacerdote eterno, podemos apreciar o privilégio que ele estende aos seus seguidores. Todos os verdadeiros cristãos são sacerdotes: “também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.... Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2:5,9). Os discípulos de Jesus seguem seu exemplo. Da mesma maneira que ele se entregou a si mesmo, seus discípulos se oferecem ao Senhor (Romanos 12:1-2; Gálatas 2:20). E da mesma forma que Jesus entrou na presença do Pai para sempre, seus seguidores esperam entrar no céu para sempre!

| Autor: Dennis Allan