"Não se aparte da tua boca o livro desta lei antes medita nele dia e noite"Josué1:8


terça-feira, 30 de julho de 2013

Como preparar esboços de sermões e estudos


Os seguintes passos são necessários para o preparo de esboços de sermões…

1. Junte dados. A fonte de pesquisa é a Bíblia. Mas é necessário uma Bíblia com referências e notas marginais. Ter uma boa concordância, Dicionário da Bíblia, Atlas bíblico e Comentário. Anote tudo o que encontrar sobre o assunto que está sendo pesquisado.

2. Faça uma breve, mas inteligente análise do texto. Isto dará segurança ao pregador ao transmitir sua mensagem.

3.Faça um esboço procurando responder as seguintes perguntas:
Que lições estão contidas no texto? Qual a palavra chave? Sobre o que o autor está falando? Qual era o contexto histórico? Em que este sermão ajudará meus membros?

4. Ore pedindo ao Espírito Santo iluminação para entender a passagem escolhida e que a mensagem possa ser transmitida de tal forma, que as necessidades dos ouvintes sejam atendidas.
“Um sermão sem propósito e progressão reconhecível pode levar à confusão, e não à convicção e decisão”. Charles W. Koller, Pregação Expositiva Sem Anotações, pág.71

Um sermão para que possa ser entendido deve ter bem definido os seguintes passos:


1. Título ou Tema.
a) Este Título ou Tema deve ser breve. A brevidade tem a capacidade de prender a atenção.
b) Deve ser atraente. O título de um livro quando é sugestivo, atrai o leitor levando-o a comprá-lo e se interessar de lê-lo.
c) Deve estar em harmonia com todo o sermão.
d) Deve ser reverente e sacro.
e) Deve estar relacionado com as necessidades da congregação.

2. A introdução.
a) Deve preparar a congregação para ouvir a Palavra do Senhor e deixar claro a importância desta mensagem. Se quiser-mos atenção durante todo o sermão, precisamos criar interesse já na introdução.
b) Deve se deixar claro a idéia central do sermão. Qual o objetivo do sermão?

3. O Pontos Principais ou Corpo do Sermão (em algarismos romanos).
a) Deve ser em forma de uma sentença.
b) Deve ser tirado da idéia central do sermão.
c) Deve ter uma seqüência lógica.
d) Deve ter um crescimento de idéias para chegar a um final glorioso.
e) Deve ter como base e ser fortalecidos pela Palavra de Deus.

4. Subdvisões. (em algarismos arábicos). 
5. Ilustrações.
As ilustrações são consideradas as janelas do sermão. Mas cuidado para que seus ouvintes não saiam por estas janelas e não voltem mais. Cuidados que devemos ter com as ilustrações:
a) As ilustrações devem estar de acordo com o assunto do sermão.
b) Devem ser verídicas.
c) Que sejam rasuàveis.
d) De bom gosto.

6. Conclusão.
A conclusão deve responder a pergunta da congregação: Que faremos? Esta pergunta deve ser provocada pelo sermão. Os nossos ouvintes precisam saber como mudar de vida. E agora perguntam: Sim, mas como? Que faremos para colocar estes conceitos bíblicos em prática?
A conclusão deve refletir a nossa proposta para o sermão. Devemos levar a mente de nossos ouvintes para o objetivo, o alvo proposto durante o sermão. A conclusão precisa levar as pessoas a um compromisso de mudança de atitude, de comportamento, de vida.


I. O QUE VOCÊ PRECISA SABER

1. Sobre o Preparo do Sermão:
1.1.É indispensável possuir os seguintes materiais: uma Bíblia, uma Concordância (Chave Bíblica) e um Dicionário Bíblico.
1.2. O estudo principal deve ser feito na Bíblia, mas há um importante material de apoio nos livros e Comentários Bíblicos em geral.
1.3.O ideal é montar seu próprio esboço evitando mensagens prontas; é mais difícil, mas é a mensagem de maior poder.
1.4. O semão deve ser simples e claro para que todos compreendam a mensagem de Deus.
2. Sobre o Preparo Pessoal:
2.1. O fator mais importante no preparo do sermão é o preparo do pregador.
2.2. Conhecimento, técnicas ou talentos naturais não podem substituir um coração fervoroso, humilde, consagrado e entregue à direção de Cristo.
2.3. Só quem está em comunhão com Deus pode influenciar e inspirar os ouvintes e levá-los ao cresdmento espiritual.
2.4. O Pregador deve ser uma pessoa de oração. O sermão deve ser resultado da influência de Deus na mente do pregador em resposta às suas orações.
2.5. Deve ser um habitual estudante da Bíblia e não apenas usá-la para preparar o sermão.
3. Sobre os Ouvintes:
3.1. A mensagem deve suprir a necessidade pessoal do ouvinte.
3.2. As pessoas esperam que a mensagem traga solução para seus problemas.
3.3. Todos tem dificuldades, a mensagem deve trazer alento e sugerir soluções. Eis alguns dos problemas que as pessoas enfrentam:
a. Solidão.
b. Sentimento de Culpa.
c. Dificuldades Financeiras.
d. Medo do Futuro.
e. Problemas Familiares .

II. A ESTRUTURA DO SERMÃO

1. Introdução
Seu objetivo é despertar o interesse no assunto do sermão e esclarecer o propósito da mensagem.
2. Desenvolvimento do Assunto (Divisões do Tema)
São as seções principais do sermão. É a distribuição ordenada do assunto.
As divisões:
2.1. Tomam as idéias claras.
2.2. Promovem a unidade do assunto.
2.3. Enfatizam os ponto principais.
3. Aplicação
É um dos elementos mais importantes do sermão, é a apresentação prática da mensagem e a explanação de como torná-la parte do modo de vida pessoal.
4. Conclusão (Apelo)
É o momento de falar ao coração, solicitando que o ouvinte aceite a mensagem e decida colocar sua vida em conformidade com a mesma.
4.1. Partes da Conclusão:
a. Recapitulação - Ressalta as idéias principais.
b. Ilustração - Alcança o coração do ouvinte.
c. Apelo - Convite para mudar.
d. Motivação - É o“como” obter a mudança que o apelo sugere.
5. O que é ?
5.1. Título do sermão - É a expressão do assunto que será pregado.
5.2. Propósito do Sermão - É a frase que resume toda a idéia que o sermão vai apresentar.
5.3. Ilustração - É um recurso que toma a mensagem mais clara e o ouvinte mais suscetível ao sermão. Ela está para o sermão assim como a janela está para casa.
A janela permite a entrada de luz, a ilustração possibilita o esclarecimento da mensagem.
Ilustrar significa “lançar luz”.

III. PRINCIPAIS TIPOS DE SERMÃO

1 . Temático
É aquele que apresenta um assunto, doutrina ou verdade Bíblica independente dos textos usados.Seu conteúdo é totalmente Bíblico.É um assunto Bíblico apoiado por várias passagens da Bíblia. 

Exemplo de Sermão Temático: 

Causas das Orações não Respondidas
I. Pedir Mal - Tiago4:3.
II. Pecado no Coração - Salmo 66:18.
III. Duvidar da Palavra de Deus - Rago 1:6, 7.
IV. Vãs Repetições - Mateus 6:7.
V. Desobediência - Provérbios 28:9
2. Textual
É aquele que apresenta um texto ou pequena porção da Bíblia. Cada frase oferece um argumento que aponta para o assunto principal do texto.

Exemplo de Sermão Textual:

Dando Prioridade às Coisas Importantes
Texto: Esdras 7:10.
Assunto: O propósito do coração de um homem de Deus.
l. Disposição de Conhecer a Palavra de Deus.
“Esdras tinha disposto o coração para buscar a lei do Senhor”.
1. Numa corte pagã.
2. De maneira completa, 

II. Disposição de Obedecer a Palavra de Deus. 

“e para a cumprir”.
1. Prestar obediência imediata.
2. Prestar obediência completa.
3. Prestar obediência contínua. 

III. Disposição para Ensinar a Palavra de Deus. 

“e para ensinar em Israel os Seus estatutos e os seus juízos”.
1. Com Clareza.
2. Ao Povo de Deus.
Observação - As subdivisões foram extraídas do contexto do livro de Esdras e de passagens que ele conhecia como escriba: Esdras 7:6,11,12,14,21 e 25; Esdras cap. 9 e 10; Josué 1:8; Provérbios 8:34,35; Jeremias 29:13 e Neemias 8:5-12.
3. Expositivo
É aquele que apresenta o assunto de uma porção maior da Bíblia. A maior parte do conteúdo provém diretamente da passagem. O esboço consiste em uma série de idéias que giram em tomo do assunto principal.

Exemplo de Sermão Expositivo:

A Luta da Fé e a Condição para a Vitória
Texto: Efésios 6: 10-18.
Assunto: Aspectos relacionados com a batalha espiritual do cristão.
l. A Moral do Cristão. v 10 -14a.
1. Deve ser elevada. v 10.
2. Deve ser time. v 11-14a.
ll. A Armadura do Cristão. v 14-17 1. Armas de defesa. v 14-17a.
2. Armas de ataque. v 17b.
lll. A Vida de oração do Cristão. v 18.
1. Deve ser persistente. v 18.
2. Deve ser intercessora. v 18b.

IV. PREPARANDO O ESBOÇO

1. Escolher a Passagem Bíblica.
Ao escolher a passagem tenha em mente as necessidades espirituais e temporais da congregação, dificuldades, tensões ou ocasiões especiais.
O texto deve ser apropriado para a ocasião e precisa-se confiar na direção do Espírito Santo.
2. Estudar o Assunto.
Pesquisar a passagem para não aplica-la fora do contexto.
3. Descobrir o Ponto Principal da Mensagem.
Descobrir o princípio bíblico da mensagem que se aplique a todas as épocas e a todas as pessoas.
Estabelecer o relacionamento da mensagem com a vida dos ouvintes.
4. Construir do Esboço.
Depois do estudo do assunto, estabelecer as divisões do tema de forma progressiva, do mais simples para o mais amplo esclarecimento da verdade bíblica.
5. Preencher o Esboço.
Acrescentar subdivisões para que o assunto seja bem esclarecido. Onde for próprio ilustrar o assunto, usar a ilustração de forma apropriada para ajudar no esclarecimento do tema.
6. Preparar a Conclusão, Introdução e Título.
Enquanto os pensamentos da mensagem estão claros na mente, preparar a conclusão. A conclusão não deve ser longa, pois a atenção da maioria dos ouvintes é limitada.
A introdução e o título são feitos por último. Depois de tudo pronto a visão do assunto é mais clara e é mais fácil preparar estas partes que despertam o interesse no sermão.

V. CUIDADOS A TOMAR

1. Não Usar Títulos Impróprios.
O título deve estar de acordo com a dignidade do púlpito, não deve ser sensacionalista ou extravagante.
2. Não Usar Textos fora do Contexto.
Não fazer uma aplicação indevida do texto bíblico, dizendo o que a Bíblia não diz.
3. Não Preparar Sermões Longos.
4. Não Fugir do Assunto.
5. Não Usar Passagens Bíblicas em Excesso.
6. Não Usar Termos Impróprios para o Púlpito.

O púlpito não é um lugar para contar anedotas.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário