Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e por meio de nós difunde em todo lugar o cheiro do seu conhecimento. Colossenses 1:10

Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

terça-feira, 7 de abril de 2015

Deus Bem Presente

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Salmos 46:1,11)


Irmãos e irmãs, tudo o que acontece relacionado aos filhos de Deus, têm um propósito de tratamento do Pai Celestial visando a um fim especifico. Nós não somos vítimas das circunstâncias, mas tudo o que nos cercam, permitam-me repetir, tem um propósito bem definido da parte do Senhor para conosco. Nada acontece a não ser pela vontade do Deus Onipotente, ou Ele permite que aconteça, ou Ele mesmo o faz acontecer. Aquele que nunca nos deixou quando passamos por momentos felizes, certamente também nunca nos deixará quando passamos por momentos de tribulações e angústias. Feliz é o homem que vê Deusenvolvido em tudo de bom ou de mal que acontece. Os versos supracitados dizem-nos que Deus é o nosso refúgio e fortaleza e se faz bem presente na angústia. Dizem-nos também que o Senhor dos exércitos é o nosso refugio. Ele tem o controle de tudo o que acontece no mundo.

Há um relato bíblico muito instrutivo para nossa reflexão sobre o profeta Daniel. Podemos ler no livro de Daniel 6:20 o seguinte: “Daniel servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?”

Observemos a expressão: “DEUS VIVO”.


Quantas vezes encontramos esta expressão na Escritura! E, no entanto, é justamente o que perdemos tão facilmente de vista. Sabemos que está escrito:Deus vivo, mas em nosso viver diário parece que nada perdemos de vista tão depressa como o fato de que Deus é o Deus vivo; é agora o mesmo que era há três ou quatro mil anos; tem para com os que O amam e servem o mesmo poder soberano, o mesmo amor salvador, que teve também no passado; e fará agora pelos Seus o que já fez há dois, três ou quatro mil anos — simplesmente porque é o Deus vivo, Aquele que não muda. Oh, como devemos confiar n`Ele, e em nossos momentos mais sombrios, nunca perder de vista que Ele ainda é e sempre será o Deus vivo!

Se andamos com Ele, olhamos para Ele e d`Ele esperamos socorro, podemos estar certos de que Ele nunca nos desamparará. Sou um velho irmão, que conheço o Senhor há quarenta e quatro anos, e digo, para seu encorajamento, que Deusnunca falhou para comigo. Nas maiores dificuldades, nas provas mais difíceis, na maior pobreza e necessidade, Ele nunca me falhou. Por Sua Graça aprendi a confiar n`Ele, e Ele tem sempre vindo em meu socorro. Tenho prazer em falar bem do Seu Nome. — Jorge Müller

Lutero, certa vez, num momento de perigo e temor em que tinha necessidade de força espiritual, foi visto absorto, escrevendo com o dedo na mesa: "Vivit! Vivit!" (Ele vive! Ele vive!) Essa é a nossa esperança — para nós mesmos, para a Sua verdade e para a humanidade! Os homens vêm e vão. Líderes, mestres, pensadores falam e trabalham por um tempo e então caem, sem voz e sem força. Ele permanece. Eles morrem, mas Ele vive. Eles são luzes acendidas, e, portanto, mais cedo ou mais tarde, se apagam. Ele É a verdadeira luz, da qual os outros obtêm o seu brilho: Ele brilha para sempre! — Alexander Maclaren

"Um dia vim a conhecer o Dr. John D. Adams," escreveu o servo de Deus C. G. Trumbull, "e fiquei sabendo que, o que ele considerava a sua maior posse era a permanente consciência da presença do Senhor Jesus. Dizia que nada lhe dava maior segurança do que a consciência de que o Senhor estava sempre com ele em presença real. Dizia que isto não dependia de seus sentimentos ou emoções, nem de seus merecimentos ou de suas próprias idéias sobre como o Senhor manifestaria a Sua presença.

"Dizia ainda que Cristo era o lar dos seus pensamentos. Toda vez que sua mente estava livre de outros assuntos, voltava-se para Cristo; e ele falava em voz alta com Cristo quando estava só — na rua, em qualquer outro lugar — tão fácil e naturalmente como com um amigo qualquer. Tão real era para ele a presença de Jesus."³

Queridos, se olharmos para nós mesmos continuamente, certamente entraremos em depressão, se olharmos continuamente para as pessoas, certamente ficaremos decepcionados, se constantemente mirarmos as circunstancias, talvez sejamos consumidos pelo desânimo, mas, se ao invés de ficarmos focalizados nessas coisas, olharmos firmemente para Jesus – o Autor e Consumador da fé -, certamente descansaremos sob os Seus cuidados paternais e eternos. Infelizmente não são poucos os que vivem derrotados pelas circunstânciasquando se colocam como vítimas possuindo um sentimento de autopiedade por passarem por tribulações. Porém, quando tudo o que acontece conosco é considerado à luz da Palavra de Deus, de acordo com a sua soberania, então aqueles que crêem no Senhor Jesus Cristo, submetendo-se ao seu senhorio, descansarão sob a sombra do Altíssimo, serão fortalecidos pelo Senhor e cavalgarão sobre as suas aflições.
Disse o profeta Habacuque: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco e nos currais não haja gado, todavia eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente.” (Hc 3:17-19).

Bem aventurado é o homem que pode declarar como expressão de sua fé no momento de tribulação: “O Senhor Deus é a minha fortaleza, Nele confiarei”. Ainda que a terra venha a se transtornar, e os montes venham a abalarem-se, ainda que as águas tumultuem e espumejem-se e na sua fúria os montes se estremeçam... O Senhor dos exércitos é fortaleza no dia do mal. Tendo o Senhor como refugio e fortaleza, necessariamente teremos também o Seu cuidado nasadversidades da vida. E mesmo quando as possibilidades parecerem correr contra as nossas necessidades, “O Senhor faz os nossos pés como os da corça, e nos faz andar altaneiramente”. Que consolo, que segurança há para os filhos do Senhor! Os filhos de Deus estão debaixo de seu olhar paternal e amoroso, de modo que não faltarão direção e providência ao longo de suas jornadas nesta vida rumo ao porvir.

Thomas Watson já disse: “Confiamos em Deus quando a providência parece correr frontalmente contra as promessas”.

Quando pensamos que ele está mais longe de nós, ou mesmo que nos abandonou, a verdade é que, quando nos atemos a ele, percebemos que está colocando pedras de fundação para maior alegria em nossa vida. “Não julgues o Senhor por sua razão fraca, mas sim, confia nele por sua graça. Por trás de uma providência indiferente, ele esconde um rosto sorridente”¹

O que diz o poeta William Cowper nessas linhas é a descrição de como Deusopera a salvação eterna de seu povo. É a maneira pela qual ele governa a história, e o modo pelo qual governa nossa vida.

“Talvez haja um tempo em que parece que Deus não é encontrado, mas não existirá nenhuma ocasião em que não se possa confiar N`Ele”² O Salmista passou por esta experiência e expressou-se: Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? (Salmo 10.1.)

Mas, não muito tempo depois ele reconheceu que nada pode fugir aos olhos Daquele que é sábio demais para errar e demais amoroso para ser cruel. “Tu hás, com efeito, visto; porque olhas para o trabalho e a dor, para o tomares na tua mão. A ti é que o desamparado se entrega; Tu tens sido o amparador do órfão.” (Sl 10:14)

No final das contas, tudo contribuirá juntamente para o propósito de Deus para o Seu povo. “Sabemos que todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” ( Rm 8:28)

Como já disse George Muller: “De mil coisas que acontecem na vida dos filhos deDeus, não são quinhentas que contribuem para o bem deles; mas sim 999 + 1: as mil”. “O bem” a que o texto acima se refere, não se trata do “bem-estar” do homem, como se ele pudesse sempre gozar de tranquilidade, conforto, boa saúde, etc..., mas o que está em voga aqui é o propósito final de Deus para os seus escolhidos. O Seu desejo é que seus filhos sejam conformados à imagem de Seu Filho a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

“Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” ( Rm 8:29)

Exatamente, Deus desejou ter uma grande família de filhos parecidos com Seu Filho, e as tribulações com suas dores, sofrimentos, angústias e privações faz parte do propósito de Deus para que possamos entrar no Seu Reino e receber essa conformidade. “Confirmando as almas dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé e dizendo que por muitas tribulações nos é necessário entrar no Reino de Deus.” (At 14:22)

Todavia, “Deus é socorro bem presente na angústia”. Ele permite que as tribulações nos alcancem, como se estivesse indiferente à sua pressão perturbadora, para que cheguemos ao fim de nossas próprias forças e descubramos o tesouro escondido, o imenso lucro da tribulação. Podemos estar seguros de que Aquele que permite o sofrimento está conosco na dor. Pode ser que só O vejamos quando a aflição já estiver passando, mas precisamos atrever-nos a crer que Ele nunca sai de perto do crisol.

Nossos olhos estão vendados e não podemos ver Aquele a quem amamos. Está escuro — as vendas nos cegam, de forma que não podemos enxergar a figura do Sumo Sacerdote: mas Ele está ali, profundamente compadecido. Não consideremos os nossos sentimentos, mas a Sua imutável fidelidade; e embora não O vejamos, falemos com Ele. Assim que começamos a conversar com Jesus, crendo na Sua real presença, embora nos esteja velada, vem-nos em resposta a Sua voz — que nos prova que Ele está ali, no meio da sombra, velando sobre o que é Seu. O Pai está tão perto quando passamos pelo túnel, como quando caminhamos sob o céu aberto.

Comigo estás, Senhor.
Embora eu não Te veja, Sei muito bem que Tu comigo estás.
Segura forte a minha mão na dor; Cerca o meu coração com Teu amor;
Ergue a minha alma, e que ela firme esteja.
Repouso em Ti, Senhor. Comigo estás.”³

Amados irmãos e irmãs, O cálice mais amargo com Cristo é melhor do que o cálice mais doce sem Ele. Aqueles que têm o Pastor Jesus Cristo, então possuem graça para cada pecado, direção para cada curva, luz para cada canto, e uma âncora para cada tempestade. Esses tem tudo o que precisam, pois Ele é o Senhor e Salvador do Seu povo. Confiemos Nele em toda e qualquer situação. As obras de Suas mãos o Senhor não renunciará. “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo;” (Fp1:6) “Pai, ordena os nossos caminhos e dirige-nos aos pastos verdejantes por amor do Teu nome. Amem!”

| Autor: Levi Cândido

Nenhum comentário:

Postar um comentário